Peeling Químico

O peeling é um procedimento que tem o objetivo de descamar a pele para estimular a renovação celular. Existem dois tipos: o físico e o químico. No caso do químico, o médico aplica diferentes tipos de ácidos (salicílico, glicólico e retinóico) na pele do paciente. O procedimento é feito em consultório. Ambos são classificados em superficiais, médios e profundos. Os primeiros são os mais realizados, pois oferecem menos riscos, como causar manchas na pele. Eles são feitos em séries e sua descamação costuma ser fina. Os médios e profundos são realizados em uma única aplicação, por isso a descamação é mais intensa e há formação de crostas. 

Indicações dos peelings químicos 

Podem ser indicados para o tratamento de melasma, sardas, poros dilatados, acne, queratoses actínicas e para melhorar a textura da pele. Pessoas que ficam muito expostas ao sol e gestantes não devem realizar esse tipo de tratamento.

Resultados 

Após o peeling, a pele fica mais sensível, avermelhada e ressecada. Em média, dois dias depois do tratamento ela começa a descamar, surgindo uma “pele nova” em cinco a sete dias. Importante que nesse período a pessoa não se exponha ao sol e nem arranque as pelinhas que se formam durante esse processo de renovação celular.

compartilhar:

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email